Recorra-run-logo-corrida-analise-rua-cor

Ciência e Conhecimento para sua corrida!

Buscar

Acabaram as desculpas: treino de força SIM #tequero

Todo corredor está cansado de ouvir a importância do fortalecimento muscular para prevenção de lesão e melhora de performance na corrida. E eu estou careca de saber que você NÃO gosta desse tipo de treino.

Portanto, vamos aprender!

Com uma revisão do assunto que compacta estudos qualificados para sanar o resto de dúvidas que ainda surgem sobre o assunto.

Pois... de novo, eu sei, eu sei que você não gosta desse tipo de treino. Mas vou te convencer da importância do mesmo. Promeeto!

O artigo é completo e extenso, mas vou trazer um resumo dos apontamentos específicos do treino de força, tudo bem ?!?!?!?

Para adição do treino de força na corrida precisamos pensar na forma de treinamento com enfoque de resistência muscular, treinamento explosivo de resistência e treinamento pliométrico. Quando realizado em 2 a 3 ocasiões na semana provavelmente afetará positivamente a performance na SUA corrida.


O treinamento resistido geralmente está associado a uma resposta hipertrófica, ou seja, um efeito no ganho de massa. No entanto, sabe-se que isso é atenuado quando o treinamento de resistência é realizado simultaneamente no mesmo programa, por isso, a necessidade de programa de treino específico para força voltado a corrida de rua. Quando feito com planejamento bem elaborado e com periodização adequada teremos SIM uma série de efeitos positivos na sua performance.

E isso nos leva a pensar numa questão importante, que no esporte chamamos de lei da concorrência.


Bia, OK OK! MAS AFINAL COMO O TREINO DE FORÇA ME DEIXA MAIS ECONÔMICO NA CORRIDA ?


O artigo trás uma evidência forte incluindo qualidades relacionadas ao ciclo de força e ao ciclo de encurtamento, que podem ser melhoradas com as atividades advindas do treinamento de força, interessante...mas, Bia quais exercícios devemos priorizar?


Esses tipos de exercício PRECISAM TER uma maior semelhança biomecânica com a ação de corrida, portanto, é provável que forneçam um maior nível de especificidade logo, a transferência do efeito do treinamento será muita bem vinda. Uma sobrecarga insuficiente ou uma falta de especificidade do padrão de movimento pode, então, ser a razão da ausência de um efeito em estudos que usaram apenas máquinas de resistência, ou um exercício de articulação única. Esses estudos também foram caracterizados por uma menor frequência de sessões e observaram uma melhora na economia de corrida.


OPAAAAAA...

Então, cuidado !


NÃO É QUALQUER TREINO DA ACADEMIA DE MUSCULAÇÃO QUE RESOLVERÁ SEU PROBLEMA!



Parece provável que as melhorias no ciclo de alongamento-encurtamento se manifestem em altas velocidades de corrida, onde os mecanismos elásticos têm maior contribuição.

Outro apontamento do estudo é a questão da melhora do tempo do corredor, ou o ganho de velocidade nos treinos. Essas melhoras observadas em velocidades mais rápidas em comparação com velocidades mais lentas também podem refletir melhorias no recrutamento de unidades motoras como consequência. À medida que a velocidade de corrida aumenta, é necessário um maior pico de forças verticais devido ao menor tempo de contato com o solo, o que aumenta o custo metabólico, e deixa o corpo mais adaptado para essa sobrecarga. Para produzir forças mais altas e superar uma redução na força por unidade de motor, como consequência de uma velocidade de encurtamento mais rápida.


PARA FINALIZAR É IMPORTANTE ENTENDER QUE :

É improvável que os resultados da força sejam maximizados, se não forem bem distribuídos na rotina do corredor. Além disso, o grau de interferência na adaptação da força também parece ser exacerbado quando os volumes de treinamento de resistência são aumentados e a duração dos programas de treinamento simultâneos é maior.

Por isso a importância de entender tudo isso e solicitar auxílio de um profissional de educação física para planejar sua rotina de treinos.

Te convenci da importância desse treino complementar?

Comente aqui…


Espero que tenha ajudado e esclarecido.

Um grande abraço e até a próxima :)



Referência: Effects of Strength Training on the Physiological Determinants of Middle- and Long-Distance Running Performance: A Systematic Review, Blagrove, Richard C Howatson, Sports Medicine, 2017.


32 visualizações