Recorra-run-logo-corrida-analise-rua-cor

Ciência e Conhecimento para sua corrida!

Buscar

Correr descalço diminui o risco de lesão? #comocorrer


Vimos em posts anteriores que o tênis não diminui o risco de lesão. Considerando essa afirmação alguns autores têm apostado investigar as implicações da corrida sem calçado, ou seja, um abordagem minimalista, no intuito de saber se essa condição diminui o risco de lesão. Mas será que a corrida descalça oferece alguma vantagem ?



Um estudo que investigou os tipos de pisada na corrida (calcanhar, neutra ou antepé) buscou entender as consequências da corrida descalça e um dos objetivos foi converter o padrão de pisada dos corredores de um padrão de calcanhar (retropé) para um padrão de pisada neutra. Outro objetivo do estudo foi entender as mudanças de correr descalço e com tênis.



Na discussão, os autores alegam que o ato de correr descalço diminui o desempenho do corredor, por isso, há uma diminuição das forças de reação do solo, ou seja, uma diminuição do impacto, por isso a alegação de que a corrida minimalista causa menos lesão. E mais uma vez, a afirmação que determinados tipos de tênis diminui o risco de lesão, cai por terra.



Quando comparado corredores com calçado ou não, parece possível que a corrida descalça induza a alteração de determinado padrão para pisada neutra (médio pé), diferente da corrida descalça.



Vale dizer que esse estudo considerou mudanças de corredores já habituados a correr sem tênis.

Surge então a seguinte dúvida: Corredores habituados a corrida de tênis, com tipo de pisada de calcanhar e histórico de lesão por impacto, mudariam o padrão, se introduzindo a corrida descalça ?

Não temos resposta positiva sobre!



Na comparação entre os corredores o estudo concluiu que não houve regra ou tendência na contribuição na diminuição da lesão quando introduzida a corrida descalça.

Alterar os padrões de pisada do pé durante a corrida quando coincide melhor com capacidades individuais podem ajudar na prevenção de lesões.



Uma mudança interessante encontrada nesse estudo é que pisada com retropé incluem velocidades médias de corrida mais lentas comparado ao padrão ante pé. Os corredores podem ser capazes de alterar seus movimentos, independente do tipo de calçado. Outro lembrete importante é que estudo verificou mudanças num curto prazo, temos então alterações do tipo de aterrizagem de forma aguda, sem ampliar essas respostas para o longo prazo.



É importante dizer que corredores habituados a correr de tênis, devem ter cuidados com esse tipo de abordagem, pois causará adaptações. Vale então analisar o custo benefício dessa mudança, se de fato há histórico de lesão por impacto, as mudanças podem trazer uma reorganização interessante.



A resposta final então é que não sabemos com precisão se evita-se lesão ou não descalço. Temos indícios que é possível mudar o tipo de pisada, e uma abordagem minimalista pode ser uma saída para tal.



No próximo post teremos mais detalhes o que os estudos dizem sobre amortecimento.


Fiquem ligados :)



Assista esse vídeo, nele debaetmos com mais detalhes esse estudo.




Você conhece alguém que corre descalço? Compartilhe esse post, peça o depoimento de quem treina nesta condição.


Beijinhos.

Até a próxima.


37 visualizações